Originalmente, em latim, a palavra Anima significava sopro, ar, brisa. Com o tempo, adquiriu o sentido de princípio vital, alma.  

Sobre a Anima

Criada em 2011, a Anima é a instituição que cuida dos interesses da família Ruggiero Passos, de um dos sócios-fundadores da Natura, tendo entre suas responsabilidades a gestão do patrimônio, a gestão dos investimentos sociais, os planejamentos sucessório e societário e a governança familiar.


Almejamos a construção de vínculos sólidos e duradouros com parceiros de longo prazo, que tenham um olhar no futuro, mas que realizem no presente. Prezamos uma identidade global, que valoriza o local e que busca aprender e acolher o que é do mundo. Crescentemente buscamos investir em diferentes geografias.


Nossos relacionamentos são calcados em transparência, valorizando a diversidade de opiniões, e construídos em ambientes de confiança, informalidade e simplicidade.

 

Valorizamos a atuação de sócios gestores que compartilham os valores da família, aportam conhecimento e experiência e participam dos resultados deste projeto conjunto.


Queremos ser reconhecidos pela qualidade do que realizamos. Buscamos excelência na execução, incentivamos o autodesenvolvimento e o trabalho intenso. Nossa inquietação, curiosidade e abertura a novas ideias nos conduzem ao aprimoramento contínuo em todos os processos e padrões de gestão, em geral com um olhar inovador.

 

Acreditamos que a melhor contribuição que podemos oferecer ao País são nossos valores e crenças, expressos no nosso trabalho e conduta perante a sociedade, incluindo o apoio a projetos socioambientais.


Nossa Filosofia de Investimentos

Investimos recursos de forma concentrada e com horizonte de longo prazo preferencialmente em empresas de capital aberto marcadas por traços de qualidade, elevadas barreiras de entrada, altos retornos sobre seu capital e que oferecem boas oportunidades para reinvestimentos. Buscamos conhecê-las profundamente, enxergando-as como se fôssemos seus controladores. Diferenciamo-nos de outros investidores por não demandarmos liquidez em horizontes pré-definidos.

 

Acreditamos que o cuidado permanente com a perda de capital é a melhor forma de compormos bons retornos ao longo dos anos. Em nosso processo decisório priorizamos empresas marcadas pelos seguintes traços culturais:

 

          •    valorização do trabalho – o reconhecimento de que o sucesso é decorrente de muito                 trabalho;

          •    meritocracia – a coerência ao premiar o desempenho, seguindo planos estruturados de                 avaliação com metas claras e disseminadas;

          •    mentalidade de dono – o elevado engajamento de colaboradores cujas atitudes reflitam                 os interesses dos acionistas;

          •    propósitos – o exercício dos valores na prática, por meio de relações profundas e                 duradouras com colaboradores, clientes, fornecedores e demais stakeholders.


Mesmo nas empresas investidas das quais somos mais próximos, buscamos não interferir em seu dia-a-dia, concentrando nossa contribuição nas seguintes dimensões:

 

          •    atração e retenção de times talentosos;

          •    desenho dos incentivos;

          •    definição das prioridades estratégicas;

          •    estruturação dos processos da governança;

          •    participação no processo de alocação de capital.